Em face das notícias que têm vindo a ser divulgadas, imputando à AES – Associação de Empresas de Segurança a afirmação segundo a qual “em mais de 100 empresas de segurança privada registadas em Portugal «apenas quatro cumprem as vinculações» laborais na íntegra para com os vigilantes…”, cumpre à Associação esclarecer o seguinte: No decurso de um encontro com jornalistas, realizado hoje pela manhã, foi proferida pelo Vice-Presidente da AES, Sr. Jorge Couto, no quadro da resposta a uma questão colocada, a afirmação de que apenas 4 empresas cumpririam integralmente as suas obrigações para com os respetivos trabalhadores. Essa afirmação, porém, foi utilizada com o propósito de enfatizar o enorme índice de incumprimento verificado no setor da segurança privada, não devendo, obviamente, ser tomada pelo seu valor facial.

O número avançado é meramente simbólico, procurando-se, com o seu uso, ilustrar um problema que preocupa as empresas e reclama, por isso, medidas enérgicas e urgentes com vista à regularização deste importante setor de atividade. Espera-se, por este meio, por termo a uma polémica que não tem sentido e que, além do mais, desvia a atenção do que, sendo essencial, deverá ser debatido.

Lisboa, 5 de Março de 2015

Comments are closed.